sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Apocalíptico

Noites mal dormidas
Sonhos censurados
Dias não vividos
Gritos abafados
Olhos programados
Pés atrofiados
Vagam lentamente
Marcham alienados
Bocas emudecem
Ecos se propagam
Pragas vão surgindo
Vírus se alastram
Balas são perdidas
Vidas são roubadas
Nessa roda viva
Que ninguém escapa
Ouvidos tapados
Dedos são cruzados
Unhas são roídas
Presos libertados
Horas são contadas
Comida é escassa
Vestes são ditadas
Pessoas usadas
Animais extintos
Matas desmatadas
Rios são poluídos
E ninguém faz nada
Os poros transpiram
E o suor resfria
A cabeça coça
E a mente pira
O peito acelera
Pois já não tolera
Este ar impuro
Que há nessa Terra
A garganta seca
E o pulso para
Coração não bate
E a vida acaba.


Luan Emilio Faustino
14/09/08 - 17:43hs

12 comentários:

  1. Esse eu adorei de paixão, é uma Triste realidade da nossa vida.
    você falou cada detalhe certinho, eu gostei muito amigo, DIVO (h)
    rs.

    ResponderExcluir
  2. De um jeito tão simples, exato e rimado a simplicidade do que é ser vida está narrada neste poema.

    Como tudo o que você escreve, está fantástico.
    Parabéns!

    ResponderExcluir
  3. Adorei o texto Luan! ^^. Infelismente é a realidade... e uma delas. " Pessoas Usadas" "/

    ResponderExcluir
  4. Apesar de ser a cruel realidade o texto ficou ótimo ! Parabéns !

    ResponderExcluir
  5. O texto pode ser curtinho, mas o suficiente pra me deixar agoniada... Sensação ruim... Reflexo, bem provável, da triste realidade que vc retrata durante toda a escrita...
    Parabéns, o texto está ótimoooo!!
    Bjs
    Laly

    ResponderExcluir
  6. nossa em 2008 vc escrevi mto difetente '-'

    Mais ta legal, adorei xD

    ResponderExcluir
  7. Cara, esse poema traduz perfeitamente o mundo moderno e doentio no qual vivemos. Infelizmente isso te deu inspiração, infelizmente pois essa realidade jamais deveria existir, muito menos para um poeta à ponto de clamar por paz. Parabéns.

    ResponderExcluir
  8. Adorei a forma deste poema, muito bom!

    ResponderExcluir
  9. "Gritos abafados"

    O pior é que esses gritos não são abafados por algo concreto, algo físico. As pessoas até os ouvem, mas a barreira, o abafador está no ouvido de cada um. As pessoas se preocupam de mais com elas mesmas e esquecem que as outras pessoas também sentem, também vivem, também morrem.

    Elas ficam insensíveis ao outro e ninguém vive por sí só... "Coração não bate e a vida acaba."


    ADOREI, muito bom, muito verdadeiro, muito intentenso.

    ResponderExcluir
  10. Gosteii desse teu lado maiis agressiivo de ser.

    ResponderExcluir