sábado, 15 de janeiro de 2011

Aquele filme...


Conhecida como a Sétima Arte, por reunir em si as outras seis artes já existentes: a dança; o teatro; a música; a literatura; a pintura; e a escultura. O cinema, este conglomerado de artes mexe com o imaginário das pessoas, elas se identificam com personagens desprovidos de defeitos, projetam sonhos reais em cima de cenas românticas nas quais os personagens sabem exatamente o que dizer e querem acreditar que a sua vida medíocre pode um dia render um filme.


As pessoas não se importam em se perder entre o real e o imaginário, no fundo, é exatamente isso que elas querem: fugir da realidade. Não que o cinema viva só de ficções, mas ele ainda desempenha a função quase poética de refugio dos sonhadores.
A verdade é que nem todos estão prontos para fazer à mesma escolha que o personagem “Neo” de Matrix, faz quando ele opta pela realidade em detrimento ao imaginário. Nem todos possuem a determinação de um Forrest Gump, o amor altruísta de um Jack de Titanic, ou suportariam carregar consigo a responsabilidade de um Frodo Bolseiro.

                          

Ao invés de supervalorizar os heróis fictícios, ignorando na maioria das vezes os heróis da vida real, as pessoas poderiam olhar mais atentamente para os vilões. Assim, aprenderiam a dar o devido valor a vida sem sofrer as interferências de um JigSaw de Jogos Mortais, a ter a elegância de um Hannibal Lecter ou mesmo a loucura essencial de um Curinga do Batman para dizer as pessoas do nosso convívio social: “Porque tão sério?”.


Pudera as pessoas serem polêmicas como um Almodóvar, explicitas como um Tarantino ou simplesmente meigas como uma Amelie Poulain. O mundo carece de amizades despretensiosas como a do trio de Harry Potter, de armários que escondem universos paralelos como o das Crônicas de Narnia e sobre tudo, o mundo carece da simplicidade de Charles Chaplim que conseguia passar a sua mensagem sem dizer uma única palavra.


Às vezes quando estou sozinho, me questiono se as pessoas sentirão minha falta, assim como os personagens de “Marley e Eu” sentiram quando o cachorrinho se foi...
Quem nunca sonhou em viver um amor de “Romeu e Julieta” ou temeu as conseqüências de viver em um mundo que mais parece um “Clube da Luta”?


Ah... Como seria bom se na vida real o “Meu primeiro amor” também tivesse continuação... Se cenas mal feitas pudessem ser refeitas, remasterizadas, ou se o nosso passado pudesse ser revisto em alta definição, para que possamos enxergar com clareza aonde foi que erramos e acertamos.


O mundo precisa do cinema para continuar acreditando no lúdico, no impossível e na magia, assim como, o cinema também precisa de nós, a sua matéria prima... Precisamos sentir as emoções, nos permitir rir, chorar, se impressionar e se inspirar.


Quem sabe assim, poderemos viver uma vida um pouco mais próxima daquilo que tão prazerosamente pagamos para assistir. Ainda que não tenhamos controle total sobre as nossas vidas, cabe a nós a tarefa diária de escrever a nossa história. Sem cortes, sem edições, apenas você e suas atitudes a espera de um tão sonhado final feliz.

Luan Emilio Faustino 06/09/10 – 20:47h

23 comentários:

  1. Isso foi realmente incrível.
    Transmitiu uma mensagem citando os melhores filmes de todos os tempos.
    Digo e repito sempre pra vc, Parabéns,

    ResponderExcluir
  2. Poétiico aciima de tudo.
    Liindo, liindo, liindo!

    ResponderExcluir
  3. Perfeito, como sempre. Quem nunca sonhou com um encontro digno de uma cena de romance e quis ficar naquele mundo? Ou ao contrário, de tanta desilusão ri desse tipo de cena e de quem se emociona com elas...Ah, as pessoas...e você coloca de uma forma incrível tudo isso, ainda mais ligando esses sentimentos aos filmes.
    Parabéns Emi, sou sua fã! *-*

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Eu definitivamente não me considero cinéfilo, mas sim acho o cinema a forma de arte "mais completa" e por que não dizer, mais verossímil.

    O cinema é como uma válvula de escape, nisso concordo totalmente contigo e também concordo que falta muita coisa que é mostrada na telona na vida real e que em tese não deveria faltar.

    Achei um pouco pesado uma frase em especifico "sua vida medíocre pode um dia render um filme."
    Não gosto da palavra medíocre, claro que muitas vezes ela é coerente, mas acho que os filmes mais brilhantes (pelo menos o que eu ja vi) são feitos de histórias de pessoas, medíocres ou não
    são pessoas que sonham, vivem, é complicado falar medíocre pra tudo quando se trata de "pessoas".

    É um bom texto, talvez esperasse um pouco mais de desapego na hora de citar filmes, você usou mais os que demonstra curtir, mas soube utilizar bem eles como recurso de construção e terminou com a "resolução" do problema, algo que tem se tornado bem comum nos seus textos.

    Acho que não tenho muito mais a dizer, gostei desse texto, tenta escrever mais sobre o tema, mas sendo mais enfático em alguns filmes, sei lá faz um texto sobre chaplin e posta perto do aniversário de morte dele ou algo assim.

    abraços

    ResponderExcluir
  6. Adoreei o poema.
    Usou a ficção junto a realidade.
    Parabéns! *-*

    ResponderExcluir
  7. Texto lindo!, sobre filmes.
    Realmente se algumas coisas fossem igual os filmes seria um mundo melhor.

    (A Corrente do bem , é o exemplo)

    ResponderExcluir
  8. Caro Felipe, as pessoas tem muito pudor de usar certas palavras pelo simples fato de não conhecerem e saberem dar o devido peso a elas. Caso não sabia, a palavra medíocre tbm possui a conotação de estar na média, ou seja, ser uma pessoa normal. "adj. Que está entre o grande e o pequeno, o bom e o mau". A ideia do post é abordar o cinema de forma ampla sem especificar em nenhum filme, apenas mostrar por intermédio de referências cinematográficas um pensamento mais poético.
    Quando eu fizer um blog sobre cinema, ai sim poderei me aprofundar em temas, filmes e diretores, o que não é o caso ainda. De qualquer forma, muito obrigado pela sugestão achei muito gentil da sua parte me dizer o q eu eu tenho que fazer ^^.
    Quanto a frase "algo que tem se tornado bem comum nos seus textos." achei um tanto quanto depreciativa, existe sim alguns traços da minha escrita que eu mantenho e propor a resolução dos "problemas" que eu mesmo levanto é uma delas.

    ResponderExcluir
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  10. Luan, eu sei que medíocre tem também esse significado, mas continuo achando uma palavra não muito boa, na média é algo extremamente comum. Pode não ser depreciativa mas é generalizante. Eu tenho pudor no uso de algumas palavras por que elas podem adquirir mil sentidos e você sabe o quanto eu não suporto ser mal compreendido.

    Eu não acho que você precise ter um blog de cinema para falar de cinema, o exemplo que eu sugeri, Chaplin, é abordado em vários outros campos de análise inclusive na história e geografia, que é "minha área".

    Eu não falei o "algo que tem se tornado comum nos seus textos" com a intenção de falar mal dos seus textos, não é algo ruim, mas ao meu ver é um artifício um tanto clichê, as vezes necessário para amarrar o texto. Só acho que de vez em quando escrever sem pretensões de "solucionar algo" pode enriquecer seu texto.

    Eu definitivamente não estou dizendo o que você TEM que fazer, só estou dizendo coisas que você PODERIA fazer, não precisa acatar sugestão nenhuma se quiser.

    ResponderExcluir
  11. Fico feliz que entenda o significado da palavra mediocre =D
    Sem mais.

    ResponderExcluir
  12. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  13. Felipe,
    Ao inves de você dizer o que uma pessoa deve ou não fazer, e ainda quer ter razão, sinto muito, pois você é uma pessoa deplorável. E uma cisa que você tem de monte é inveja!

    "...algo que tem se tornado comum nos seus textos"
    Isso que você diz ser "comum" significa que o Luan Emilio é uma pessoa de personalidade e estabelece seu padrão, ao invés de ficar mudando e nao conseguir se estabelecer. E é por isso que ele consegue seu sucesso e muito bem merecido, e isso que é comum é o que faz dos textos dele os melhores.
    #invejamata. bjos.

    ResponderExcluir
  14. oO' Que isso gente, ele só esta dando a opinião dele. Acho super válido a gente dizer o que pensa, sente e acha.

    ResponderExcluir
  15. Sempre amo o jeito que você une o util ao agradavel,o jeito que vc contorna as palavras ,o sentido que dá a elas, é incrivel o seu poder .Amo seus textos "As pessoas não se importam em se perder entre o real e o imaginário, no fundo, é exatamente isso que elas querem: fugir da realidade" melhor frase ^^

    ResponderExcluir
  16. Achei o post super legal. Olhando pela estrutura dele ficou distribuido para uma leitura que é feita na internet. Ficou agradável assim e de uma forma que as pessoas gostaram de ler.

    Outras pessoas também comentaram falando que gostaram e foi muito bom para o blog eu acho. Deu um up mesmo, ficou uma postagem totalmente diferente falando da disposição dela na página. Com mais fotos também.

    O conteúdo também foi ótimo, eu particularmente amo aquela cena de 'meu primeiro amor'. Super senti que o que vc queria no texto era formar ele com os títulos dos filmes, ficou muito bom. Já fiz isso uma vez com títulos de músicas e também ficou bom! *----*

    ResponderExcluir
  17. Lucas

    Credo o.O
    Cara eu não sou um desconhecido eu falo com o Luan faz tempo e só dei minha opinião e acho que não fui destrutivo, agora você ja chegou me chamando de deplorável por favor né.

    Eu n tenho inveja do Luan, nem tenho pra que, é um amigo que considero muito e meus comentários sempre são o que penso e o que acho que pode contribuir para os textos dele.

    Não tenho pra que ter inveja do Luan se to sempre torcendo pro sucesso dele.

    ResponderExcluir
  18. Como sempre você consegue ser encantador, sua sensibilidade de escrever textos que envolve vários desejos e sentimentos reais, simplesmente me fascina, me faz te admirar ainda mais *--*. Até o presente momento você está de parabéns em relação a seus textos e poemas. Sem mais ! Beijos Neném ^^

    ResponderExcluir
  19. As suas palavras expressam tudo, tudo mesmo oque muitas vzs new eu consigo expressar nos meu versinhoss.
    Nossa que a cada dia esse seu talento cresça, e seja conhecido por muitos , pois você merece muitoo mais..
    BJão , Te Adoroo.
    Ysa Oliveira .

    ResponderExcluir
  20. Simplesmente arrepiada e emocionada... Incrível este texto...
    De uma simplicidade e delicadeza ao citar cada filme, cada personagem...
    Simplesmente maravilhoso...
    Bjssss
    Laly

    ResponderExcluir
  21. caraca rolo uma tensão ai com o Felipe '-' [fofocando]
    Me intrometendo aqui eu acho que essa é a marca dos textos do Luan, ele sempre soluciona o problema nos textos, sempre passa uma mensagem nas coisas que escreve. É por isso que eu gosto. Se fosse poemas/textos enfim, sem solução ou se a cada coisa que ele escreve fosse de um jeito, sem a marca 'lu' eu não gostaria...
    Porque a marca 'Lu' já virou um dos tipos de textos que mais gosto de ler.
    Lu te adoro e adoro as coisas que escreve xD
    [mas cada um tem sua opnião]

    ResponderExcluir