sábado, 2 de abril de 2011

21:21



Era tarde da noite. Ok, não era tão tarde assim, mas algo naquela noite dava a impressão de ser mais tarde do que realmente era. O silêncio da rua, o sono que ja tomava conta do corpo, eu estava disposta a dormir e me desligar temporariamente do mundo real, quando os meus olhos se fixaram naquele visor do relógio digital. Eu costumava achar cretinice essas pessoas que encontravam significado maior quando os números das horas se igualavam aos dos minutos, e foi exatamente assim que eu me senti naquele momento: uma cretina. Não que eu estivesse sendo dura demais comigo mesma, é que naquele exato instante eu não conseguia me ver de outra forma senão como uma hipócrita, que agora entre outras coisas, se envergonhava dos seus próprios pensamentos.  Eu me odiei naquele minuto que tardava a passar, durante todo o tempo em que aqueles números estavam duplicados, eu fiquei a me questionar se alguém, em algum lugar do mundo estaria pensando em mim.  Senti-me carente, frágil, ridícula. Olhei para os lados com medo que alguém presenciasse aquela cena, mesmo sabendo que estava sozinha em casa. Ninguém me via, respirei aliviada, mas a sensação de alívio logo deu lugar a dúvida. De repente a ideia de ninguém me ver  passou a me atormentar, no fundo eu queria ser notada, desejada, eu queria ser o alguém de alguém.  Mas será que alguém pensava mim?! Será?  E é incrível, como tantas coisas passaram pela minha mente naquele único minuto. Porque houve um certo momento em que eu parei de pensar se alguém pensava em mim e passei a pensar em um certo alguém. Ah... Quanta besteira pensei, era apenas uma hora como outra qualquer disse eu em voz alta em tom de quem quer se convencer de algo.  E as palavras ecoaram pelos corredores de casa e pelos espaços vazios que um dia foram ocupados por sentimentos.  Aquele instante que obrigou-me a encarar o fato de que a minha felicidade era ilusória, me fez divagar em uma auto-análise descabida, com direito a dúvidas existenciais e conflitos sentimentais. Quando me dei conta, já eram 21:25h, o tempo havia passado de forma sutil. Aproveitei que estava sozinha e sem maiores dificuldades ignorei a mim mesma e os meus pensamentos.  O sono mais vez havia se manifestado, eu precisava realmente dormir, aos meus olhos me parecia mais saudável sonhar dormindo. Foi quando senti meu celular vibrar no bolso, era um SMS. Na hora pensei que fosse a operadora de celular anunciando uma de suas promoções, ou o que é pior: o pouco saldo de meus créditos. Mas eu havia me enganado, o SMS dizia: “Olá linda, espero não ter te acordado, passei aqui só p/ dizer q estava pensando em vc, bjss”. Sim, para a minha absoluta surpresa, naquele exato instante havia alguém pensando em mim.

Luan Emilio Faustino 27/03/2011 – 03:33h

18 comentários:

  1. O bom de tudo o que leio aqui, é que são situações e sentimentos reais, não é nada muito fora da minha realidade. Sempre me identifico com suas escritas, justamente por ja ter vivenciado certas situações aqui descritas. Meu querido,você esta de parabéns como sempre. Beijos :)

    Att: Joseana Andretta

    ResponderExcluir
  2. Lindo, simplesmente!
    Um retrato dos anseios que nos acompanham diariamente, um sms, um telefonema, um scrap ou, até mesmo, uma citação no twitter.
    Sempre almejamos que tenha alguém que pense na gente, ainda que uma vez por dia, apenas.

    Mais uma vez, lindo!
    Beijo,
    @ThalitaLi .

    ResponderExcluir
  3. Reflito: "Será que alguém pensa em mim quando as horas se igualam aos minutos? Eu poderia ao menos então, pensar em alguém quando as horas se igualam aos minutos".
    - Como sempre viajei nas tuas palavras Luan! Adorei o poema ^.~

    ResponderExcluir
  4. Como sempre, me surpreendendo ... mas desta vez, meus rotineiros pensamentos foram descritos. Não por mim, e muito menos por alguém que esteja me observando. Entretanto recebo apenas a notificação de meu pouco saldo de créditos. E minha frustração de que alguém poderia estar pensando em mim, continua... Rsrs Parabéns Luan ;D

    ResponderExcluir
  5. Huhauhauhuha eu ri! Calma que a mensagem daquela pessoa ainda chega Fer!

    ResponderExcluir
  6. -




    Amei o final do texto.
    *-*
    Eu que também nunca fui de acreditar nessa história de que hora e minutos iguais significa que alguém esteja pensando em mim, me senti meio convencido depois de ler o texto.
    hahaha

    Lindo, como sempre!
    ;)





    -

    ResponderExcluir
  7. Como sempre você é surpreendente...


    Nossa, cada dia mais fico admirada como você...

    você é uma verdadeira caixinha de surpresa rsrsrs, consegue detectar e expressar os nossos pensamentos e inseguranças...

    Amei, Amei, Amei muito...



    Hum.... É tão bom saber que alguém ta pensando na gente... rsrsrsrs



    Te Adoro Luan Emilio...

    ResponderExcluir
  8. Parabens luan! Como sempre muito bom!

    ResponderExcluir
  9. vou matar suas fãs de inveja dizendo que já te beijei! uahauhaua

    lindo, amei seus textos!!!!

    amoooo

    ResponderExcluir
  10. Adorei o poema, realmente não da pra saber se naquele exato momento alguém está pensando em nós e como estão pensando...=/
    Surge a duvida...
    Mas quando sabemos que estávamos no pensamento de alguém, essa duvida da lugar a alegria e o conforto de saber que é lembrado...

    Assim como eu, que estou pensando em vc nesse exato momento meu amigo..=)
    Tenha um ótimo domingo e se cuida, abraço..=D

    ResponderExcluir
  11. Aaaaahhhh, adorei!!!!!!!!!!!!!
    Fiquei muito surpresa com o final... Acho que, sem perceber, arregalei os olhos ao ler a ultima frase... Com um misto de espanto, alegria e uma pontinha de inveja, soltei um sorriso como quem diz "Ele conseguiu de novo"... Vc conseguiu de novo me surpreender...

    "Aquele instante que obrigou-me a encarar o fato de que a minha felicidade era ilusória, me fez divagar em uma auto-análise descabida, com direito a dúvidas existenciais e conflitos sentimentais." - adoreiiiii

    Tá de parabéns querido!!
    Bjs
    Laly

    ResponderExcluir
  12. Emilio, gostei do texto, tal como ja te havia dito antes. Achei muita graça o modo como revelaste o fim do texto. Expoes sempre muito bem os sentimentos e as fraquezas encerradas no facto de sermos apenas humanos, cheio de imperfiçoes que vamos limando serenamente enquanto envelhecemos.
    Foste, és e serás uma fonte de inspiração. Gosto da tua atitude e da tua veracidade nos poemas e textos, sempre cheios de emoções. E sim, estou triste, mesmo assim.

    ResponderExcluir
  13. Isso acontece mesmo..
    Agora diiga:
    BASEADO EM FATOS REAIS!

    Sou prova viiva!

    Liindo, liindo.. *-*

    ResponderExcluir
  14. Eu não te conheço, mas eu te odeio! Eu te odeio!!! AAAHHHHHH ... ¬¬
    parece até que você me conhece há anos, pq esse texto ai sou eu, não é possível...
    tudo tão igual, tão perfeito...

    Obrigada pelo prazer da leitura...
    visite o blablablasays se possivel... ^^

    ResponderExcluir
  15. amei, tirando umas repetições de palavras, achei que o começo ficou muito bem estruturado e o final também, faltou só um gostinho de quero mais no meio, aquele impulso pra chegar no final e ter a grande surpresa, no mais está perfeito.

    ResponderExcluir