sábado, 27 de novembro de 2010

O dia em que o cupido se apaixonou


 Aquela era pra ser mais uma tarde apaixonante de trabalho, distribuindo flechadas e promovendo encontros que as pessoas preferem atribuir ao acaso se esquecendo assim de minha insignificante existência.
  Eu não sei exatamente como tudo isso começou, certo dia descobri assim meio sem querer que as minhas flechadas não machucavam, pelo contrário elas provocavam uma espécie de sentimento bom, um sentimento que as pessoas vivem a procurar e morrem para não perde-lo. Até hoje não sei ao certo se o efeito desta minha flechada é libertador ou se ele aprisiona minhas vitimas, apenas sei que a ele deram o nome de: AMOR.
 Eu queria poder entender tal sentimento que a mim fora confiado, poder senti-lo apenas uma vez, mas creio que eu seja o ultimo da minha espécie, isso explica porque hoje em dia esta tão difícil encontrar o verdadeiro AMOR, oras eu ainda sou um só, e não é nada fácil ser cupido nos dias de hoje.
 As pessoas andam com tanta pressa, em passos largos e olhares fixos para frente, que fica difícil poder acertá-las com êxito; vez ou outra eu erro a pontaria e reúno casais improváveis, destes que as pessoas olham e apontam na rua quando passeiam de mãos dadas.
 No começo eu me culpava pelo erro, me martirizava, porque o AMOR uma vez instaurado dificilmente se desfaz, mas hoje, olhando esses casais improváveis eu noto o quão belo é o AMOR, que faz com que as pessoas superem as diferenças tendo como base de suas atitudes o coração e não mais as convenções.
 Assim como a maioria das entidades da fantasia eu também não envelheço, presencio o começo, meio e fim de cada flechada dada, às vezes o fim chega mais cedo do que o imaginado e as pessoas temem não mais sentirem o que um dia eu as proporcionei. Mas existem casos e casos, carrego comigo um arsenal de flechas infinitas que podem muito bem acertar uma mesma pessoa mais de uma vez. Porém retirar uma de minhas flechas não é tarefa fácil, as pessoas dizem que não sentem mais nada, que superaram, mas eu sei quando a flecha ainda esta lá.
 E é tão triste ver as pessoas mentindo pra si mesmas e querendo acreditar em suas mentiras... Depois de muito observar, cheguei à conclusão de que as minhas flechas podem não doer quando entram, mas doem inevitavelmente quando saem...
E foi naquela tarde apaixonante de trabalho que tudo mudou, como de costume procurei cautelosamente meu alvo, observei por um tempo, encontrei a vitima ideal: solitária, carente e com muito amor pra dar. Eu podia ler tudo isso em sua áurea (sim eu tenho essa estranha habilidade), mas havia algo de diferente dessa vez, algo que eu não conseguia ler, o que de certa forma tornou aquele alvo mais interessante que todos os outros.
 Eu mirei e mantive com firmeza a flecha esticada em minhas mãos para diminuir as chances de erro; com a flecha lançada eu vivi aquele momento de expectativa que aos olhos dos outros poderia passar em segundos, mas para mim foi uma pequena eternidade onde vários pensamentos tomaram conta de minha mente.
 Fiquei SURPRESO! Na verdade achei que os meus olhos estavam me enganando, não havia apenas uma flecha cravada na pobre alma, agora haviam duas, mas uma já estava lá! COMO NÃO NOTEI ISSO ANTES?!
 Desesperado, me aproximei e tentei retirar a flecha que levianamente eu atirei, eu tremia de aflição e culpa; e foi em um descuido ainda maior que o meu dedo se cortou na tentativa frustrada de retirar a mesma flecha que eu havia lançado. Naquele exato momento, eu que sempre fui invisível aos olhos de todos passei a ser visto por uma única pessoa.
 Eu tive que aceitar a perda do controle momentâneo, eu tive que aceitar os sentimentos que estavam em mim o tempo todo adormecidos. Na verdade eu não tive escolhas, quando me dei conta eu havia deixado de ver os sentimentos em terceira pessoa e passei a vivenciá-los.
 Era tudo novo e cabia tudo em um único olhar, porque da mesma forma que somente ela me via eu soube naquele momento que somente eu a veria tal como ela realmente era.
 Foi nesse dia que me apaixonei, foi nesse dia que encontrei minha cúmplice, minha aliada. E se hoje o mundo tem um pouco mais de AMOR é porque ela esta ao meu lado, me ajudando nessa tarefa apaixonante de se apaixonar todo dia pela mesma pessoa.

Luan Emilio Faustino 25/11/2010 – 2:52h

19 comentários:

  1. *o* .... se apaixonar todo dia pela mesma pessoa; Parabéns pela foto é pelo texto...hehe... agora sério... Parabéns por ser esse escritor incrível... e de imaginação surpreendente... eu nunca imaginaria um cupido apaixonado...hehe...
    Bjim Bjim da Phâm...

    ResponderExcluir
  2. esse conto é uma daqueles que a gente lê, fica com os olhos cheios de lagrimas e com um sorriso bobo no rosto...
    pelo menos foi isso que aconteceu comigo agora, enquanto lia *-* hehe
    dá uma sensação boa de felicidade, de amor, sabe ? é daqueles que esquenta a alma, o coração *-*

    Incrivel como voce consegue escrever dessa forma, fazendo com que quem leia tenha essas sensações ...
    eu já nem sei mais como te elogiar, voce cada dia se supera, me deixando totalmente sem palavras .-.

    Parabens Lu, parabens por mais uma obra liiiiiiinda *-*

    cada dia eu me orgulho mais, e fico honrada por poder fazer parte disso, por poder estar ao seu lado, e ver seu sucesso de pertinho *-* (e vou estar sempre, viu ? nao vai se livrar de mim )

    parabens, mais uma vez, meu poeta/escritor preferido !!

    "Naquele exato momento, eu que sempre fui invisível aos olhos de todos passei a ser visto por uma única pessoa."

    te amo, Luan Emilio Faustino

    ResponderExcluir
  3. ao cupido:
    "se apaixonar, tarefa dificil pr quem nunca amou verdadeiramente!
    cupido, tome cuidado com os alvos que voce acerta! pois deixa pessoas quase em beira de morte ou triste pelo falo de nao ver a pessoa amada quando ela esta longe do seu alcance!
    mas com vc proprio disse é mais dificil ainda retirar a fecha! entao estou esperando retirar a minha!
    pois nunca amei ngm com amo esta pessoa!
    vc sabe de quem estou falando, so me ajuda urgente, pois esta dificil!"
    ao Luan Emilio:
    amo seus contos! mesmo q fere meu coração!
    vc sabe levar meus sentimentos ao estremo!
    uma das coisa q eu amo em vc!
    seus poemas/textos/contos sempre sao o meu pensamento e a minha vida!
    Obrigado pelos lindos contos e poemas e textos!
    s2'

    ResponderExcluir
  4. Seus textos são maravilhosos mas cinceramente nunca tinha visto ou lido um conto com essa qualidade... eu achei lindo e ele fala exatamente o que accontecem com as pessoas apaixonadas, vlhw voce falo praticamente o que eu queria dizer KOASKOAKSOKASOKASOKASOK
    parabens de vdd !!

    ResponderExcluir
  5. Luan, parabéns pelo seu conto, simplesmente adorei ele!!!
    Ele faz uma síntese da realidade minha e de várias pessoas que o lêem, abordando um tema tão complexo de interpretar que é o amor, me identifiquei em vários trechos com o cupido...
    Você cada dia me surpreende mais com sua versatilidade com as palavras, fico impressionado com esse dom que você tem...
    Uma característica notável e que acho maravilhosa em seus textos é o fato de eles não virem com uma idéia pronta, o leitor é que tem que pensar a respeito e organizar as próprias idéias para chegar a uma conclusão.
    Enfim, adorei mesmo, desejo todo sucesso do mundo pra você e parabéns mais uma vez!!!

    Abração.

    ResponderExcluir
  6. poemas sao expressoes mais sinceras de sentimentos e anseios
    sao nestes que dizemos o que o coração grita, mas que a boca nao consegue traduzir

    os poemas revelam a alma, e é por isso que os amo!

    parabens por este seu poema, é muito profundo e impactante'

    leandro albuquerque

    ResponderExcluir
  7. obrigado de coração o elogio, mas é um conto >,<

    ResponderExcluir
  8. lindo demais luan, sério, ao ler seu texto lembrei de momentos que vivi, cada recordação boa *-*
    você está de parabéns pelo seu texto.

    ResponderExcluir
  9. Luan , eu fico sem palavras á cada poema seu qe leio , eu sempre encontro um pedaço de mim em parte deles . . esse poema ér muito lindo , agora eu sei porq tem gente qe se apaixona toda semana por uma pessoa diferente , ér o cupido fazendo seu trabalho néah ;D KKK brincadeira*

    sério , amei a história , muito perfeita !

    ResponderExcluir
  10. Nossa lindo esse conto..
    Não sabemos onde, quando e por quem iremos nos apaixonar, mas 2 coisas são certas: 1ª: Terá o dedo do cupido nessa história, e 2ª: Viver em um verdadeiro e intenso amor, mesmo o quão diferentes que as pessoas sejam o importante é aproveitar a oportunidade da flexada e viver o amor..=)

    Ótimo fim de semana Luan (Amigo Cupido)..
    Abraços!!=)

    ResponderExcluir
  11. Nossaa! Maravilhoso!Um conto leve, bom de se ler e que traz uma tranquilidade. È bom saber qu ainda acrdita-se no amor e que um dia até os cupidos o rceberão. Parabens

    ResponderExcluir
  12. "No começo eu me culpava pelo erro, me martirizava, porque o AMOR uma vez instaurado dificilmente se desfaz, mas hoje, olhando esses casais improváveis eu noto o quão belo é o AMOR, que faz com que as pessoas superem as diferenças tendo como base de suas atitudes o coração e não mais as convenções."

    Melhor parte do poema!

    "Superar as diferenças" - isso é que é preciso para se ter o verdadeiro AMOR ;)

    ResponderExcluir
  13. Se já me surpreendia com poemas, com contos não seria diferente...
    De maneira tão bela deu voz a um ser imaginário, que existe para preencher nosso mundo de ilusões... Ilusões necessarias para viver...
    TEnho certeza que se o cupido pudesse falar e expressar seu amor, não faria diferente...
    "(...) mas creio que eu seja o ultimo da minha espécie, isso explica porque hoje em dia esta tão difícil encontrar o verdadeiro AMOR,"
    E já que vc está praticamente em "ligação direta" com ele, faz um favor: manda ele olhar pro meu lado, que flecha nenhuma chegou aqui... ahuahuahuaa...
    Parabéns, lindo o conto...
    Bjs
    Laly

    ResponderExcluir
  14. Liindo o conto *-*
    tá de parabéns..
    a foto tbm muiiiito linda :)

    ResponderExcluir
  15. Ameiiii o conto *-* fiquei abismada com tamanha facilidade que tu tem para fazer de uma história algo tão belo e singelo .
    A cada poema que você escreve ,tu se supera cada vez maiss,ainda bem que estou sempre presente e fazendo parte de tudo isso,às vezes acho que não vou me surpreender com seus textos,poemas ,mas vc sempre se supera e escreve sempre coisas mais lindas e inspiradoras.

    ResponderExcluir
  16. Lu mas e a outra flecha que ja estava la '-' ...
    aaaaaa
    eu achei lindo *.*
    Espero que o cupido não me acerte por erro '-' shauhsua

    bju Lu, qro ver mais contos :}

    ResponderExcluir
  17. A outra flecha ja estava la, provavelmente de um amor q acabou, mas que ela não conseguia esquecer. Tanto q quando o cupido leu a aurea dela, ele viu uma pessoa sozinha e carente.

    ResponderExcluir
  18. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  19. Eh as vzs a gnt passa a vida juntando pessoas e mais pessoas, vendo apenas os olhos alheios brilharem pela emoção de um grande e verdadeiro amor, e esqueçemos de vivê-lo.
    Mas o tempo corre, e a nossa hora enfim chega, passe o tempo q passar, essa flecha do cupido, mas cedo ou mais tarde chega e enfim podemos desfrutar, de tudo akilo que um dia a gnt proporcionou aos outros..
    Felicidade momentânea...q se bem cuidada e cultivada.. é eterna em nossos corações..
    Ah o amor... só ele é capaz de curar as feridas do nosso coração,sinceramente, qndo ele parte, dói, mas a sensação de nos sentir vivos enquanto ele aki esteve é eterna...
    Tô esperando a flecha do amor me acertar denovo..
    A esperança afinal nunca acaba.. um dia o relógio se acerta e minha hora chega..
    Beijos e continue essa Anjo maravilhoso,encantador e super talentoso q vc é... da sua fã..
    adoooro Meu Ídolo poeta..
    nhá q ele acha fofo eu chamar ele assim.. *--*♥

    ResponderExcluir